Author: Tatyane Diniz
•23:02

Hoje o meu sorriso se desfez
Na cabeça do olhar de uma carranca!
Mas é feia!!!
Logo me lembrei de Ana das Carrancas...
Foi da feiura que ela alimentou seus filhos...
O seu amor.
Seu grande amor!
Santa mulher que soube alimentar almas.
E os sorrisos perversos de sua arte!
A parte crítica da arte fica em segundo plano.
Talvez ela nem soubesse o que é estética, recepção...
Mas ela dava vida ao seu trabalho e
Significado a sua existência íntima!!!

(Tatyane Diniz)
|
This entry was posted on 23:02 and is filed under . You can follow any responses to this entry through the RSS 2.0 feed. You can leave a response, or trackback from your own site.

3 comentários:

On 4 de setembro de 2011 16:17 , Alexandre da Fonseca disse...

LINDO SEU BLOG! SUCESSO E MUITA PAZ.BJS VISITE: WWW.INSTITUTOEUQUEROPAZ.BLOGSPOT.COM

 
On 6 de setembro de 2011 08:39 , Por que você faz poema? disse...

Sempre gostei de carrancas,
na casa da minha avó tinha uma que tomava conta da porta do quintal.

 
On 17 de outubro de 2012 11:11 , Marcio Alves disse...

Bela homenagem a nossa rainha das carrancas.